Overview… 2020 pandemic, crypto bullrun, personal stuff…

E eis que mais de 1 ano e meio depois retorno com um breve, pleonásmico, resumo. Em meio a uma pandemia, um novo “bullrun”, o mundo continua suas voltas, o tempo não para.

Acho que vou voltar a atualizar isso aqui com mais frequência, e agora de modo mais pessoal. Talvez isso me dê mais inspiração para postar sobre reviews antigos como eu fazia aqui antes, já que ainda tenho dezenas de programas de “deskmod” (talvez desatualizados hoje, mas muitos ainda úteis) que há muito deixei de ter interessa em postar. Aproveito para dar aquele “purge” no hd!.

Overview…

  • Pandemia, crise global, além de nossos 5+ anos de crise nacional, institucional, etc.
  • Descobri recentemente, há uns 4 meses um problema crônico de saúde.
  • Nada de novo no horizonte profissional, além de um segundo diploma.
  • Estamos, aparentemente, iniciando um novo “bullrun” no mercado de criptomoedas (tema sobre o qual nunca falei aqui, mas desde 2013 sei um tantinho – e não, não aproveitei quase nada disso nesses 7 anos).

De repente posto uns prints dos últimos anos sobre esse último tópico, mas nada de especial, mas acho interessante registrar.

Aliás, essa atualização repentina me veio a mente por estar aqui mais uma vez perdido, procrastinando na Wikipedia, lendo sobre coisas aleatórias (finanças, negócios, cinema, terremoto de Kobe em 1995, subprime mortgage crisis, whatever…), vendo o jornal noturno falar sobre as consequências positivas da eleição de Biden nos mercados americanos, sinais de recuperação recente do mercado brasileiro, embalados pelas notícias de vacinas que tem animando os mercados globais, dentre outras coisas.

Tentando evitar superstições ao escolher um título pro post, organizar as ideias enquanto preciso continuar mais um cad, concluir projetos, estudar, pensar nas tarefas e em coisas pra postar em rede social, ou o que devo escolher pra um portfólio (e quais sites de portfólios), etc. Enfim, mil coisas. E coisas que não vão bem.

Quem sabe atualizar isso aqui, de um modo que eu sempre evitei fazer, que é “blogar” tradicionalmente, enfim, quem sabe isso tudo me ajude um pouco a produzir mais, a me expressar de forma proveitosa, dar sentido a essa desordem que eu não posso mais deixar me dominar, como ocorreu nos últimos X anos.

Enfim, ironicamente, mesmo que esse blog já tenha 14 anos de vida, só agora vejo sentido em usá-lo como um caderno de registros, dessa era, dessa vida. Sem drama, pra isso tenho as poesias, em outros meios.