Winamp dando sinais de vida…

Largado às traças desde 2013 (v5.666), o adorado Winamp, player que em Abril fez 25 anos de existência e uso desde 1999 aparentemente deve voltar a ativa finalmente. Desde 2014, quando a Radionomy comprou o player da AOL, depois que esta cessou o desenvolvimento do mesmo, havia uma vaga esperança de que ele tivesse um destino digno, diferente do que ocorreu com o Sonique, vários anos antes.

Mas no ano seguinte à aquisição, a Radionomy foi comprada pelo conglomerado Vivendi, e o que ocorreu depois foi mera estagnação, com uma landing page que não dizia muito, apenas criava uma falsa expectativa de progresso, ampliada depois que um beta “vazou” em 2018 (v5.8).

Desde então eu não pensei em procurar alternativas para substituí-lo, pois pra mim, o Winamp é o player definitivo. Alguns plugins que julgo essenciais só funcionam com ele, coisas simples mas que melhoram bastante o áudio, e também tenho uma coleção com centenas de skins, na maioria clássicas, que são desde quando comecei a usá-lo, há mais de 20 anos. Gosto também da velocidade, leveza e interface objetiva. Eu não diria simples, já que tem muitas opções, mas mesmo essa flexibilidade de personalização é feita de modo intuitivo e organizado.

Primeira skin que me recordo de ter baixado pro Winamp, lá em 1999. Stainless v2.0 (Lançada em Dezembro de 1998!). No início de 2021, consegui reencontrá-la, depois de vários anos…

Eis que em Novembro de 2021 surge um chamado dos desenvolvedores para usuários interessados em participar como beta-testers para a próxima/nova versão do player. A tal nova versão já foi anunciada pelos “coming soon” em outras ocasiões, em 2016, 2018, etc.

Nesse meio tempo, ocorreu que a melhor substituição que achei pro Winamp, foi o próprio Winamp! Ou melhor, um “fork” dele, chamado WACUP, que é um patch da versão 5.666, com alguns recursos obsoletos ou desnecessários removidos, outros adicionados ou melhorados, além de correções de bugs. Foi importante achar essa alternativa, porque a versão oficial que eu usava (5.6x ou anteriores) não estava mais fazendo o scan completo da minha biblioteca, que com mais de 28 mil arquivos sempre travava sem conseguir indexar tudo, o que era frustrante. Enfim, recomendo totalmente aos orfãos do Winamp original testar a estabilidade do WACUP, mesmo ele sendo um eterno beta/hack.

Claro que existem outros players com mais recursos ou diferenciais tentadores, e com skins muito boas e nesses anos todos testei muitos, mas não explorei muitos plugins DSP e outros, com esses players, e nunca os utilizei com intuito de substituir o Winamp, e sim pelo hobby de fuçar esses apps e de vez em quando variar no visual do desktop (afinal, o tema maior nesse blog sempre foi deskmod).

Em um post futuro vou abordar alguns dos principais que testei com mais frequência, e ainda vou falar sobre os anteriores ou contemporâneos ao player da lhama, que me chamaram a atenção, mas não o superavam!

Novo logo do Winamp.

Este post começou a ser escrito há meses, e tanto tempo passou que hoje saiu uma “atualização” do Winamp oficial: versão 5.9 Build 9999 RC1 (Release Candidate) / Release Notes. No entanto, não parece ter relação com o prometido “beta”, e sinceramente não tenho curiosidade nenhuma em testá-lo, pois apesar de ser uma versão com correções de bugs (e recursos inúteis removidos), acabou introduzindo uma série de incompatibilidades com plugins, e alguns recursos não estão funcionando, e o WACUP tem melhorias de UX/UI que o oficial não possui.

Embora até o momento os desenvolvedores não tenham mudado neste recente beta, a interface e usabilidade para algo radicalmente diferente, Darren Owen (dev do WACUP), especulou neste post no Reddit que o novo Winamp deverá ser uma versão “remasterizada” – algo à la Spotify – e se assim for, pode esquecer a compatibilidade com plugins e skins antigas… um grande desperdício de um legado que ainda funciona muito bem até hoje.

Novo visual no Windows Explorer vindo aí

De acordo com o Liliputing, o gerenciador de arquivos do Windows tem novidades estéticas. As novidades são do Insider Preview (build 21343). Eu não tenho coragem de usar os previews do Windows 10, pois mesmo em versões RTM o Windows Update pode deixar a gente na mão, e pior, mover ou sumir com arquivos e documentos se o usuário não for cuidadoso.

Mesmo dentro do padrão flat (com degradê), até que ficou legal.

A Microsoft tem atualizado os ícones do Windows 10 já tem algum tempo nas versões do canal Insider Preview, e devem aparecer mais novidades nas próximas atualizações pois a ideia é atualizar o sistema de interface por inteiro no futuro próximo, o que faz sentido, mesmo que o Windows 10 ainda não pareça totalmente datado, faz parte da estratégia manter uma renovação consistente da interface conforme tendências, aplicações e funções novas surgem.

Olhando bem, as pastinhas amarelas em perspectiva realmente já parece datadas…

Aliás, essas mudanças de interface tendem a ser mais radicais, segundo o Windows Latest. Citando algumas imagens que divulgadas entre Novembro de 2020 e Janeiro deste ano, a Microsoft deve adotar uma estética que remete um pouco ao Windows 7, com detalhes arredondados em menus, janelas e outros elementos, além de translucidez por padrão, porém mais sutil que o efeito “Aero Glass” que vigorou desde o Windows Vista (e que destruiu a criatividade da comunidade deskmodder/skinner).

Mudanças sutis e elegantes.

Ainda sou cético quanto aos detalhes arredondados em menus. Se de fato acontecer será interessante e não sei por que nunca foi feito antes no Windows. As razões fogem ao meu conhecimento técnico, mas é algo que eu vi anos atrás em alguns mockups de interface no DeviantArt, porém designers (de temas, shells, apps, etc) alegavam ser uma limitação do sistema que impedia criar temas para o menu de contexto nativo. Daria pra aplicar skins (como o WindowsBlinds fazia – não lembro se ainda o faz), porém não seria possível alterar os limites para aplicar bordas arredondadas ao menu, como se faz em limites e barras das janelas, por exemplo.

Será mesmo que isso vai acontecer?

GNOME com cara de XP

Para os não habituados ao mundo GNU/Linux, mais precisamente à interface do GNOME: que tal testar o XPGnomeScript?

Ele adiciona ícones, controles, planos de fundo, cores, etc à interface do GNOME, deixando-o com a cara do XP. Deve ser uma boa pra quem tem uma lan só com Linux ou quer ensinar novatos a usar o sistema sem assustá-los, utilizando uma interface mais familiar.

xpgnome

Mas como quase tudo no mundo do Tux, há dificuldades de implementação… Tsc, tsc, tsc. Como explica o post do LifeHacker, crie uma conta exclusiva no GNOME pra testar esse script, pois não há um modo muito fácil de desfazer as alterações.

Outra alternativa mais completa nesse sentido: Freedows.

Ouvindo :: Finger Eleven – Slow chemical
Humor :: apático/indiferente

Shutoff 1.1: desligue o Windows com estilo

O ShutOff é um programa extremamente simples, que cria uma interface agradável para o desligamento/reinício/logoff do Windows XP.

Não tem instalador, basta criar um atalho onde você quiser (sugiro um dock), clicar e pronto. Ele exibe uma interface minimalista com três botões e escurece suavemente a tela, destacando apenas a “janela” de desligamento.

shutoff

Por padrão, ele não exibe um botão de saída, muito útil caso você execute o programa acidentalmente, mas nesse caso basta clicar sobre a interface ou apertar ESC. Você pode, no entanto, editar a opção ShowCloseButton (para 1 ou 0) no arquivo settings.ini da skin, para exibir o botão “sair”.

Para os skinners: não há um “help” ou tutorial incluso nesse aspecto, mas a skin padrão, sugestivamente chamada de “Default”, serve como referência nesse caso, assim como o arquivo shutoff.ini. A estrutura é simples, embora seja totalmente em texto. Crie seus PNGs e organize-os adequadamente, e vá testando até dar certo.

Achei o ShutOff uma opção melhor que o “gehrunnerjunge“, muito popular entre os deskmodders, e acho que deva funcionar bem para outros modders também, além de ser um bom caminho para se adentrar na arte de criar skins. Faz tempo que eu faço isso…

Até!

Via Blizzle. Download no DeviantArt.

Ouvindo :: Dogstar – Breathe tonight
Humor :: zen/tranquilo

DarkRoom no próximo release do Ubuntu

O DarkRoom é um belíssimo tema para o Ubuntu Linux, que agora virá oficialmente na distribuição, a partir da versão 8.10. O tema padrão atual, no entanto, continuará o mesmo.

A inclusão do DarkRoom se deve à grande popularidade por parte dos usuários, que tenho que concordar, faz sentido. O wallpaper não segue o estilo high-tech abstrato de outros sistemas como o Windows ou MacOS X, na realidade é mais orgânico, e aí nesso ponto tenho que concordar com a Canonical, que deixa o DarkRoom como um acessório, e não um tema default.

darkroom ubuntu

Já vi algumas menções esdrúxulas sobre o tema padrão do Ubuntu e o esquema de cores com descrições pejorativas como “marrom cocô”, que podem gerar polêmica, mesmo assim, embora “diferente” ainda considero de bom gosto.

Via LifeHacker

Ouvindo :: Lobão – Scaramuca
Humor :: zen/tranquilo

Theme Manager no Haiku?

Apenas para curiosos, pois o troço parece bem complicado, e exige conhecimentos de programação em uma plataforma alien para muitos de vocês que me leêm: Haiku.

O Theme Manager do Haiku ainda é experimental. Trata-se de um selecionador de temas para desktop, onde podem ser editados e configurados temas existentes, incluindo aí a seleção dos sons de eventos, escolha das skins para as janelas, cores, fontes, aparência do terminal, papel de parede, proteção de tela, etc. Enfim, tudo e mais um pouco que nós já estamos habituados em nossos Windows, Macs, Linux etc. Quem quiser mais informações sobre, por favor vá neste link.

Image Hosted by ImageShack.us

Eu mesmo não o testei, e ao que tudo indica é um add-on recente no kernel do sistema (se for em nível de código, talvez seja apenas um projeto adicional da GUI, não ligado diretamente ao núcleo do sistema). Aliás pra quem nem sabe do que se trata o Haiku, tem que entender antes o que foi ou é o BeOS e seus remanescentes.

Alguns de vocês podem estar achando estranho porque estou falando disso aqui. Bom sempre fui fã do BeOS, e por extensão, as reencarnações dele sempre me chamaram atenção. Não sou especialista, mas prefiro ele e sua filosofia de interface fácil (derivada desde os tempos em que cogitou-se substituir o MacOS por ele, nos idos do anos 90s) ao GNU/Linux.

Mas voltando ao assunto, como falo aqui de deskmod, e não prendo a comunidade a nenhum sistema operacional específico, é bem coerente tratar sobre deskmod em outra plataforma, especialmente quando isso é “novidade” na mesma. Mas convenhamos, é apenas curiosidade mesmo, pois os resultados do Theme Manager do Haiku ainda são bem feinhos, lembrando o finado Zeta e a época do Microsoft Plus! (blergh!) no Windows 9x… 🙂

Mas calme lá, quem quiser experimentar outra coisa, pode tentar o gerenciador de temas padrão do BeOS: http://www.bebits.com/app/1381

Ouvindo :: Oleander – You’ll find out
Humor :: indiferente/apático

LeftSider inverte botões

Para Windows XP e Vista, o LeftSider permite os botões da barra de título da janela sejam reposicionados. Embora não seja exatamente útil (talvez para canhotos funcione, hehe) é interessante pra quem gosta de modificar tudo no desktop.

Image Hosted by ImageShack.us
By andrenix

Site do desenvolvedor, com links para download:
http://hsiw.web.fc2.com/

Em japonês!

Ouvindo :: Hog Molly – Short bus
Humor :: zen/tranquilo